Eva percorrendo umas vezes estradas, outras veredas. Caminhando sempre com amor e a esperança de encontrar a porta certa. Parando de vez em quando para retemperar forças... admirar uma flor… uma paisagem… fazer novas amizades... e meditar... e reencontrar velhos amigos... e demais companheiros de jornada!
Domingo, 10 de Julho de 2011

Auto‑consciência é, pois, a designação moderna do conceito de pneuma entre os gregos e de spiritu para os de fala latina e que chegou até nós como espírito. As neuro‑ciências, mesmo as mais avançadas e optimistas, não ousam afirmar que a auto‑consciência, a percepção interior de um eu autónomo, é um produto da actividade cerebral, da activação de umas certas redes neuronais ou da circulação de mediadores químicos. Não são a dopamina, a serotonina ou as encefalinas que constroem a auto‑consciência; manifestam‑se nela, ajudam à sua expressão, mas não a constituem. Também não são os circuitos neuronais que memorizam simbolicamente as percepções e que, a qualquer momento, as tornam presentes na auto‑consciência, que a constituem, embora lhe forneçam conteúdos para que ela se torne deliberativa e comunicacional.

Esta auto‑consciência, como o mais íntimo da intimidade pessoal, é a revelação, em cada um de nós, do espírito.

Podemos ficar neste patamar e dizer, apenas, que o espírito é, por ora, um mistério para os neuro‑biologistas.


Daniel Serrão



publicado por eva às 00:33
mais sobre mim
Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9






pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO