Eva percorrendo umas vezes estradas, outras veredas. Caminhando sempre com amor e a esperança de encontrar a porta certa. Parando de vez em quando para retemperar forças... admirar uma flor… uma paisagem… fazer novas amizades... e meditar... e reencontrar velhos amigos... e demais companheiros de jornada!
Quarta-feira, 22 de Outubro de 2008

Há 197 anos, a 22 de Outubro de 1811, nasceu Franz Liszt no vilarejo de Raiding (em húngaro: Doborján) no então  reino da Hungria. Foi baptizado em latim com o nome "Franciscus", mas os seus amigos mais próximos sempre o chamaram de "Franz", a versão alemã de seu nome. Era chamado de "François" em francês, "Ferenc", "Ferencz" ou "Ferentz" em húngaro; no seu passaporte húngaro de 1874, o nome registado era "Dr. Liszt, Ferencz".  Liszt foi famoso pela genialidade de sua obra, pelas suas revoluções ao estilo musical da época e por ter elevado o virtuosismo pianístico a níveis nunca antes imaginados. Ainda hoje é considerado um dos maiores pianistas de todos os tempos, em especial pela contribuição que deu ao desenvolvimento da técnica do instrumento.

Para a “petite histoire” de Liszt fica este saboroso apontamento doutras épocas: Conta-se que, certa vez, durante uma recepção num palácio, o chapéu de Liszt caiu, rolando pela escada abaixo. Uma princesa russa, aproximando-se de Lizst, exclamou: "Oh, o seu chapéu caiu, senhor!". E Liszt terá respondido: "Não se incomode! Por causa de seu encanto já perdi a cabeça, de modo que o chapéu já não tem utilidade".

 

E  para quem quiser ouvir um som de Liszt diferente, aqui fica Alexey Koltakov a tocar a transcrição de Horowitz para a Rapsódia Húngara nº 2.

 



publicado por eva às 20:15
E deixei eu fugir este rapaz! Volta Lang Lang que estás perdoado!

Não sei quem é que deve o quê a quem, se o Liszt ao Lang Lang se o Lang Lang ao Liszt...

É daquelas músicas que faz apetecer viver e, ao mesmo tempo, morrer!

Onde é que terá sido gravado?


Eu quando me levanto de manhã mexo-me à mesma velocidade que os dedos de Lang Lang, mas é só até acabar de tomar o pequeno almoço...


Ç Ré, Mi, Fá, Sol, Lá, "à Si Dó" não saber tocar assim...
blue a 22 de Outubro de 2008 às 21:54

Foi gravado em Julho de 2007 na cidade natal de Andrea Bocelli. Bocelli voltou a Lajatico, sua cidade natal e acompanhado pela Orchestra da Camera delle Marche e coro lírico, cantou ao ar livre, no Teatro del Silenzio, um anfiteatro natural. A combinação da música e do cenário deslumbrante iluminado pelo pôr-do-sol garantiu um espectáculo para os olhos e ouvidos.
O concerto reuniu os maiores sucessos do cantor (Con te partirò, Vivo per lei, Il mare calmo della sera, The prayer, entre outros) grandes nomes da música italiana e artistas internacionais como Heather Headley, Elisa, Laura Pausini, Sarah Brightman, Lang Lang, Chris Botti, Kenny G e David Foster, produtor musical vencedor de 14 Grammy Awards. Andrea apresentou principalmente o seu repertório lírico mas não cantou apenas a solo, tendo também cantado em duetos.
O concerto foi dedicado ao pai e foi transmitido em directo por algumas emissoras e, curiosamente, foi o espectáculo escolhido para a primeira transmissão em alta definição de TV no Brasil. E aqui tens o resumo feito com base nas notícias da época (haja net) e com uma pitada de memória. Já agora, boa parte do espectáculo está, à peça, no You Tube.


Ç investigador
eva a 23 de Outubro de 2008 às 00:17

Com a sua rebeldia a CONTRACÇÃO não deu lugar à interjeição, ou seja, onde se lê "à Si DÓ!, obviamente devia ler-se "Ah, Sí Dó" não saber tocar assim...

Pensei que a tua resposta pudesse ser : "Não sei.",
mas não, foi um respostão de cortar a respiração ou por outras palavras, uma resposta à Lang Lang.


Ç enternecido
blue a 23 de Outubro de 2008 às 15:40

mais sobre mim
Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

12
13
14
15
17
18

20
21
23
24
25

26
27
28
29
31


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO