Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Caminhos de Eva

Caminhos de Eva

Eva percorrendo umas vezes estradas, outras veredas. Caminhando sempre com amor e a esperança de encontrar a porta certa. Parando de vez em quando para retemperar forças... admirar uma flor… uma paisagem… fazer novas amizades... e meditar... e reencontrar velhos amigos... e demais companheiros de jornada!
29
Mar12

Millôr Fernandes

eva

Millôr Fernandes (Rio de Janeiro, Brasil 1923 — 2012)

 

Poeminha de Insatisfação Absoluta

 

O que me dói

É que quando está tudo acabado

Pronto pronto

Não há nada acabado

Nem pronto pronto

Pintou-me a casa toda

Está tudo limpado

O armário fechado

A roupa arrumada

Tudo belo, perfeito.

E no mesmo instante

Em que aperfeiçoamos a perfeição

Uma lasca diminuta, ténue, microscópica,

Não sei onde,

Está começando

Na pintura da casa

E as traças, não sei onde,

Estão batendo asas

E a poeira, em geral, está caindo invisível,

E a ferrugem está comendo não sei quê

E não há jeito de parar.

 

Millôr Fernandes, in "Pif-Paf"

 

 

Poeminha sobre as Reacções Paradoxais numa Sociedade

 

Na conversa sofisticada

a debutante, nervosa,

tem um problema bem seu:

fingir que entende tudo

ou fingir que não entendeu

 

Millôr Fernandes, in "Pif-Paf"

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.