Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Caminhos de Eva

Caminhos de Eva

Eva percorrendo umas vezes estradas, outras veredas. Caminhando sempre com amor e a esperança de encontrar a porta certa. Parando de vez em quando para retemperar forças... admirar uma flor… uma paisagem… fazer novas amizades... e meditar... e reencontrar velhos amigos... e demais companheiros de jornada!
30
Mai12

Cinema para ouvir de A a Z - 007, 2001, 1492

eva

De Setembro a Dezembro de 2010 compus um alfabeto de compositores de A a Z.

Desta vez vou tentar um alfabeto de filmes ou séries. Não os filmes ou as séries mas os temas musicais.

A escolha é pelo sentimento da altura.

Numa alfabetação os números precedem as letras, por isso começo pelo celebrado 007 e pelos incontornáveis 2001 – A Space Odyssey e 1492 – Conquest of Paradise.

 

 

A autoria do tema de 007 é disputada por

John Barry e Monty Norman

  

 Para 2001, Stanley Kubrick usou a abertura de

Assim falou Zaratustra de Richard Strauss

que ficou indelevelmente ligada ao início do filme

  

Quanto a 1492, o tema é da autoria de

Evangelos Odysseas Papathanassiou, mundialmente conhecido como Vangelis

3 comentários

  • Imagem de perfil

    eva 06.06.2012

    Para mim o 2001 é um dos marcos do cinema. Dos que gosto. Há marcos que reconheço como tal mas que me recuso a vê-los porque me perturbam, o Clockwork Orange é um deles.

    Ç amante de algum cinema
  • Sem imagem de perfil

    blue 06.06.2012

    Que engraçado teres falado na Laranja Mecânica! Sabias que a minha paixão pelo cinema começou aos 11 anos quando a minha mãe disse para ir ver a Música no Coração? Depois, nunca mais parei, a não ser uns anos muito mais tarde, em que reduzi consideravelmente o número de filmes por ano. Tenho uma vaga ideia de já te ter contado isto. Cheguei a ver 18 filmes por mês...sobretudo nos anos 70 e 80. A loucura era tal que eu e um amigo fazíamos as contas em bilhetes de cinema, ou seja, por exemplo, ponderávamos a compra de umas calças de ganga por estas equivalerem a 6 bilhetes de cinema...
    Mas tudo isto para dizer que eu vi de tudo, inclusive a Laranja Mecânica e lembro-me como se fosse hoje, a minha mãe ( outra cinéfila, com muitos livros de cinema (antigos) que guardo a 7 chaveso) dizer-me que o filme se baseava no caso Sharon Tate. Naquela altura consegui vê-lo, bem como muitos outros bem piores, nomeadamente os de John Carpenter, ex, A 13 esquadra (horrível). A Caça e Cães de Palha foram outros dois filmes que me fizeram morrer de medo. Mas, resumindo, embora nunca tenha visto, por opção, filmes como o Shining e O Silêncio dos Inocentes que para mim são outro género, esse sim, inaguentável, devo dizer-te que de tanto ver filmes " de maus" (como eu dizia às minhas filhas), a partir dos 30 anos fiquei sem coração para poder ver tudo o que traga uma ligeira fragância a violência. Daí a tal redução de que te falei...
    Para finalizar, vi um documentário extraordinário na TF2 sobre toda a verdade do caso Sharon Tate e embora retratasse a realidade cruel, foi magnífico! Esses eu consigo ver, pois para além de estar belissimamente bem feito, é o conjunto de circunstâncias altamente improváveis que levam à morte de Sharon Tate que nos deixam a pensar como, de facto, a vida nos pode surpreender, mesmo na companhia de amigos descontraidamente...conversando. Era lindíssima a Sharon e Polanski ficou arrasado...ao contrário do que constou...

    ç à António Mourão
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.