Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Caminhos de Eva

Caminhos de Eva

Eva percorrendo umas vezes estradas, outras veredas. Caminhando sempre com amor e a esperança de encontrar a porta certa. Parando de vez em quando para retemperar forças... admirar uma flor… uma paisagem… fazer novas amizades... e meditar... e reencontrar velhos amigos... e demais companheiros de jornada!
17
Jun13

Sobreviventes da 2ª Guerra Mundial e Aristides Sousa Mendes

eva

17 de Junho de 2013

Sobreviventes da II Guerra Mundial foram salvos graças ao cônsul de Portugal em Bordéus, Aristides de Sousa Mendes, chegam quinta-feira a Cabanas de Viriato, em Carregal do Sal, à casa que pertenceu ao diplomata.

 

Acompanhados de familiares, os sobreviventes encontram-se a partir de hoje em Portugal para uma visita de cinco dias que inclui passagens por Vilar Formoso, Guarda, Belmonte, Figueira da Foz, Curia, Coimbra, Cabanas de Viriato, Caldas da Felgueira e Tomar.

«Os locais de visita abrangem os diversos núcleos judaicos incluídos na Rota das Judiarias, assim como localidades e espaços onde alguns refugiados portadores do visto Sousa Mendes viveram durante a II Guerra Mundial», refere uma nota de imprensa do Turismo Centro de Portugal.

Na quinta-feira à tarde, realiza-se uma cerimónia no cemitério de Cabanas de Viriato e uma visita à igreja onde Aristides de Sousa Mendes se casou com a primeira mulher, Angelina. Segue-se uma visita à casa de Aristides de Sousa Mendes (conhecida por Casa do Passal), em frente à qual o arquiteto Eric Moed, neto de um refugiado, está a preparar uma instalação artística.

A comitiva iniciou no passado dia 09, em França, uma viagem que pretende homenagear a memória de Aristides de Sousa Mendes, que salvou mais de 30 mil pessoas aos passar-lhes vistos, desobedecendo às orientações que tinha recebido do ditador Oliveira Salazar.

A iniciativa é organizada pela Fundação Sousa Mendes (Estados Unidos da América), pela comissão nacional francesa de homenagem a Aristides de Sousa Mendes e pela AJPN -- Anónimos, Justos e Perseguidos durante o período Nazi.

«Para todas essas famílias, Portugal foi o símbolo da paz e da esperança retomada», refere a organização, acrescentando que será este «caminho de liberdade» que voltará a ser feito em Portugal.

Diário Digital com Lusa

 

Notícia original em

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=639343

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.